Confira um passo a passo de como tirar o Visto para os Estados Unidos

Como tirar o Visto para os Estados Unidos – Para visitas turísticas e de natureza temporária, deve-se tirar o visto B1/B2, que possibilita a permanência nos Estados Unidos por um tempo limitado, seja a negócios ou lazer. O procedimento não costuma demorar muito. Contudo, é indicado que se procure resolver esse trâmite burocrático com antecedência de no mínimo 3 meses. O ideal é antecedência de 6 meses. O procedimento poderá levar menos tempo, a depender da disponibilidade do Consulado Americano e do fato de você já ter ou não passaporte. Ainda assim, o Consulado desestimula o comportamento de comprar passagens ou pacotes de turismo antes de se tirar o visto, para evitar a dor de cabeça de ter que correr atrás do reembolso.

A aprovação desse tipo de visto B1/B2 depende da comprovação ao Consulado das intenções que se tem ao visitar o país. Estas intenções devem corresponder aos objetivos declarados da visita, que, com o visto B1/B2, limita-se ao turismo. Ao Consulado deve ficar provado que você não irá aos Estados Unidos para fazer outras coisas que não as atividades de uma visita temporária, como estudar, trabalhar ou se instalar definitivamente, emigrando. Sendo assim, essa comprovação de intenções passa por 3 principais pontos: 

  • Motivação da viagem

 

O motivo da viagem deve ficar bem assentado para as autoridades diplomáticas aprovarem o visto. Mais do que isso, o motivo deve condizer com os fins do visto B1/B2, isto é, turismo e visita temporária. 

Destaque a motivação, não pode ser vaga nem muito geral, como querer conhecer o país por curiosidade ou algo assim. Tampouco pode desviar-se da intenção turística, como mencionado, por exemplo sugerindo a possibilidade de ficar por lá sem voltar. 

Alguns exemplos de motivos que condizem com a intenção de visita temporária são: férias do trabalho, da faculdade, da escola, intenção de conhecer pontos turísticos etc. Procure deixar bem clara sua intenção, para que o visto não seja negado.


  • Condições financeiras

Em segundo lugar, o Consulado avalia se o candidato ao visto tem as condições financeiras para custear uma viagem ao exterior, estadia no país etc. Há alguns meios para se comprovar a sua situação financeira, através de uma série de documentos oficiais, tais como extratos bancários, contracheques, declarações de imposto de renda, entre outros. 

Há ainda uma outra possibilidade: quem vai pagar a viagem não é você, mas um patrocinador (sponsor) como uma empresa ou uma pessoa física mesmo. Nesse caso, é preciso comprovar a renda desta terceira parte. 

  • Vínculo com o país de origem

 

Por fim, é preciso restar comprovado ao Consulado a intenção do candidato ao visto de retornar ao país de origem. Para tanto, os vínculos com o Brasil devem ser devidamente atestados. Mas que tipo de vínculo pode comprovar a intenção de volta ao Brasil?

Vínculos familiares, consanguíneos ou não, vínculos profissionais, vínculos com instituições de ensino, como universidades ou escolas, ou até mesmo vínculos com algum tipo de propriedade, como uma casa ou um carro, um aluguel que se pague, etc. 

Do contrário, sua situação não ficará clara para o Consulado Americano. Surgirá a suspeita de que você é um emigrante em potencial, ou seja, que tem a intenção escusa de se instalar definitivamente nos EUA. Resumindo, se o vínculo com o Brasil não ficar claro e comprovado, o visto não será aprovado. 


Como tirar o Visto para os Estados Unidos

Burocracia: parte prática

Bem, analisados esses principais problemas que levam à não aprovação do visto, vejamos agora a parte burocrática, isto é, como se faz o visto na prática. 

O procedimento não é difícil, mas, se as orientações não forem seguidas à risca, podem surgir complicações. O processo é dividido em um número de passos. 

Como tirar o Visto para os Estados Unidos:

1º passo: Formulário DS-160

O primeiro passo para conseguir o visto é preencher o formulário DS-160, no seguinte link https://ceac.state.gov/genniv/. Esse formulário é composto por uma série de perguntas em inglês, que podem ser traduzidas para português pelo navegador. 

Deverão ser fornecidos dados de natureza pessoal, tais como nome completo, data de nascimento, estado civil, escolaridade, experiências profissionais etc. Devem ainda ser respondidas outras questões mais específicas, relativas a viagens, como se o candidato ao visto já esteve nos EUA, se já teve passaporte ou visto roubado, se vai viajar sozinho ou acompanhado de um parente, entre outras perguntas desse tipo. 

Observação: procure ser o mais meticuloso possível nesse formulário, pois boa parte dos vistos negados o são por conta do preenchimento incorreto do DS-160. Além disso, não minta no formulário, preencha todas as informações da maneira mais honesta e idônea possível. Isso porque muitos vistos são negados pois as informações colocadas no formulário e as dadas na entrevista não são compatíveis. Tenha em mente que o governo dos EUA tem interesse em recebê-lo no país para uma visita, pois o turismo é uma atividade lucrativa que movimenta a economia. Não queira ser mais esperto que o Consulado, você vai se dar mal.

2º passo: Pagamento da taxa de solicitação

Após o preenchimento do formulário, o candidato ao visto deverá acessar o site do departamento de vistos dos EUA para pagar uma taxa de solicitação de US$160,00. Na taxa de câmbio atual, essa quantia equivale a R$624,50. O pagamento da taxa assegura o agendamento da ida ao CASV e da entrevista no Consulado. 

Há dois meios meios de pagamento: boleto bancário e cartão de crédito internacional. A vantagem deste último é a compensação imediata do pagamento, ao contrário do boleto, cuja compensação leva em torno de 24 a 72 horas, a depender do seu banco. Tenha o comprovante de pagamento da taxa em mãos quando for ao CASV e ao Consulado: ele pode ser útil.

É importante ter em mente que essa taxa não é reembolsável. Então é essencial seguir as instruções ao pé da letra para não ter um prejuízo desses. 

3º passo: Agendamento da ida ao CASV e ao Consulado

No mesmo site em que se efetuou o pagamento da taxa, é possível agendar tanto a ida ao CASV (Centro de Atendimento ao Solicitante de Visto) quanto a entrevista no Consulado. Há também alguns telefones úteis por meio dos quais o agendamento pode ser feito, quais sejam: 

  • Belo Horizonte: (31) 3956-0800
  • Brasília: (61) 3550-0774
  • Recife: (81) 4042-0050
  • Rio de Janeiro (21) 4042-0584

A entrevista no Consulado poderá ser realizada nas sedes das seguintes cidades:

  • Belo Horizonte;
  • Brasília;
  • Porto Alegre;
  • Recife;
  • Rio de Janeiro;
  • São Paulo.

Para os que não residem nessa cidades, não há remédio senão ir a alguma delas para efetuar a entrevista. 


Quando da ida ao CASV, serão colhidas as informações biométricas e uma foto do solicitante do visto. Você deverá levar os seguintes documentos: passaporte atual, página impressa de confirmação do formulário DS-160 e página impressa de confirmação da ida ao CASV e entrevista no Consulado. 

Em seguida, vem a parte mais temida de todo o processo: a entrevista. Há um senso-comum em torno dessa fase que afirma muita informação equivocada, como, por exemplo, que a aprovação do seu visto depende da simpatia do entrevistador. Contudo, sabe-se que não é assim que funciona o processo. Tenha em mente que o número de vistos aprovados é maior do que de vistos negados. Então, a probabilidade de que seu visto seja aprovado é muito maior do que seja negado, bastando que você tenha preenchido o formulário DS-160 adequadamente e fornecido toda a documentação necessária. 

Assim, a entrevista não é o bicho de sete cabeças que a pintam para ser, sendo na realidade um procedimento rápido e rotineiro. O objetivo da entrevista é confirmar as informações fornecidas no formulário e no CASV, verificando se o solicitante atende os critérios para entrada no país. Todos os entrevistadores dos Consulados falam o português (com algum sotaque). 

A lista de documentos que devem ser levados no dia da entrevista não é fornecida pelo Consulado. Contudo, é importante levar toda a documentação que efetivamente comprove seu vínculo com o Brasil, como carteira de trabalho, declaração de imposto de renda, folha de pagamento dos últimos 3 meses, certidão de nascimento, certidão de casamento, extratos bancários dos últimos 3 meses, comprovantes da posse de bens, declarações de frequência escolar, carta de empregador, certidão de CNPJ e alvará da empresa (para empresários autônomos), entre outros. Além disso, o solicitante também deve levar passaporte, atualizado ou não, com vistos expirados ou não, enfim, documentos que comprovem eventuais saídas do país. 

Outra dica para a entrevista é ser o mais honesto, objetivo e claro possível. Limite-se a responder as perguntas feitas pelo entrevistador. Quando lhe for solicitada alguma documentação, entregue aquela documentação específica. 

4º passo: Entrega do passaporte

O último passo é a entrega do passaporte ao solicitante. O fim do suspense se o visto foi aprovado ou não. Caso o entrevistador devolva o passaporte no fim da entrevista, o visto foi negado. Caso ele o retenha, o visto foi aprovado, e será incluído no passaporte num prazo de, em média, 10 dias úteis. 

Outras informações

O visto do tipo B1/B2 permite uma permanência nos EUA de até 6 meses, sendo destinado para compromissos pontuais e tópicos. Sua validade é de até 10 anos. 


E é isso! Fizemos esse post bem simples e rápido para tentar explicar Como tirar o Visto para os Estados Unidos !

Ficou alguma dúvida? Deixe aqui nos comentários que nós tentamos ajudar!

 

 

Deixe um Comentário